A Junta de Freguesia da Junqueira, em parceria com a Paróquia da Junqueira e com o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, promoveu uma homenagem póstuma ao Padre Adélio através da inauguração de um estátua, da autoria do escultor Eduardo Bompastor, que eternizará a sua memória.
Nesta cerimónia esteve presente D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz de Braga, que presidiu à celebração da Eucaristia de Ação de Graças, e que contou ainda com a presença da Presidente da Câmara, Dr.ª Elisa Ferraz, do Presidente da Junta, Carlos Baptista, e restante executivo, do Presidente da Assembleia de Freguesia, do Pároco da Junqueira, do Conselho Económico, dos movimentos da paróquia, familiares do Padre Adélio, pela população e pelos milhares que, através do Facebook, acompanharam a transmissão em direto.
Sendo que em 2020 se comemoram os 90 anos do seu nascimento e os 10 anos do seu falecimento, este foi o momento oportuno para a concretização de uma justa homenagem da comunidade, em reconhecimento pelos relevantes serviços prestados à freguesia durante os 43 anos de serviço pastoral e social.
Todos os presentes recordaram e destacaram a especial sensibilidade do Padre Adélio para se dar ao próximo, dando muitas vezes de si e do seu para satisfação das necessidades dos mais desfavorecidos, sempre preocupado em criar as respostas necessárias para a comunidade, seja na educação, no desporto, na cultura e no social, onde sempre dedicou um especial carinho às crianças, aos jovens e aos mais idosos.
Foi um bom pastor que nos guiou e inspirou, foi um mestre zelador do património e foi um reconhecido empreendedor pelas muitas obras realizadas.
O Presidente da Junta, Carlos Baptista, referiu que “a dimensão do Padre Adélio não se esgotava na sua fé, devoção ou obras realizada, todos nós, herdeiros do legado do Padre Adélio, temos uma enorme responsabilidade para o futuro, pois uma comunidade precisa de referências sólidas e de exemplos de vida, sendo que os junqueirenses tiveram essa felicidade e a honra de ter conhecido e privado com um grande Padre e um grande Homem.
Saibamos ser dignos herdeiros deste legado, praticando e transmitindo às novas gerações o exemplo de vida e os ensinamentos do Padre Adélio”.
D. Jorge Ortiga considerou esta uma «homenagem justa» a um «homem de entrega incondicional à paróquia, um homem trabalhador, de coragem, criativo, de grande coração que acolhia a todos (ricos e pobres)», e convidou a comunidade local a deixar-se contagiar pelo testemunho deixado pelo sacerdote.
Foi um dia memorável e emocionante para a nossa freguesia.
Obrigado Padre Adélio.